Áudios
Banda de Pífanos de Caruaru
Coleção do Zuza
8.6.2022

Banda de Pífanos de Caruaru

Formada nos anos 1920, quando Manuel Clarindo Biano reuniu os filhos Benedito e Sebastião para formar um grupo musical, a Banda de Pífanos de Caruaru tornou-se conhecida nacionalmente na década de 1970.

A projeção pelo país veio a partir de 1972, ano em que Gilberto Gil incluiu “Pipoca moderna”, de Sebastião Biano com letra de Caetano Veloso, no álbum “Expresso 2222”. Em 1975, Caetano também gravou a canção em seu LP “Joia”.

No mesmo período, o grupo da família Biano — inicialmente chamado de Zabumba Caruaru e formado por pífanos, tarol, surdo, pratos e zabumba — também participou de um dos volumes da coleção “Música Popular do Nordeste”, realizada pela Discos Marcus Pereira.

Em 1979, a gravadora lançou o quarto álbum da banda, reunindo o sumo do repertório (até então disperso) do grupo pernambucano, com obras como “Pipoca moderna”, “A briga do cachorro com a onça”, “Pipoquinha”, “Cavalinho, cavalão” e “Espadas”.

Repertório

Lado A

Vira-folha (Sebastião Biano e J. Biano)

Pipoquinha (Sebastião Biano)

A briga do cachorro com a onça (Sebastião Biano)

Marcha dos bacamarteiros (Sebastião Biano e J. Biano)

Xamego dos “pife” (Sebastião Biano e Gilberto Biano)

Feira do troca-troca (M. Alves e J. Biano)

Lado B

As espadas (Sebastião Biano e J. Biano)

Pipoca moderna (Sebastião Biano e Caetano Veloso)

Os Tupinambás (Onildo Almeida)

Cavalinho, cavalão (Onildo Almeida)

Valsa da pastora (Sebastião Biano e Benedito Biano)

Alvorada (Sebastião Biano e Benedito Biano)

Novena (Sebastião Biano e Benedito Biano) – a) Só de Deus vou me lembrando; b) Para o povo apreciar; c) Santo Guerreiro; d) Jesus respondeu na cruz; e) Leilão; f) Baiano de arrematação

Formação: Sebastião Biano (1º pífano), Benedito Biano (2º pífano), Gilberto Biano (tarol), Amaro Biano (surdo), José Biano (pratos) e João Biano (zabumba).

Texto: Lucas Nobile

  • Coleção do Zuza
  • Zuza Homem de Mello
  • Caetano Veloso
  • Gilberto Gil